Avenida Infante D. Henrique,
6200-506 Covilhã, Portugal

Liga-nos
+351 917 755 760

Sessões Paralelas

17 Janeiro

sessões paralelas

O poder da comunicação com o idoso

De acordo com a OMS, o envelhecimento, a nível biológico, é associado a uma grande variedade de danos moleculares e celulares, o que leva a um aumento do declínio geral nas capacidades do indivíduo. No entanto, também incluem mudanças nos papéis e posições sociais, bem como a necessidade de lidar com perdas de relações próximas. Em que medida a arte da comunicação poderá ajudar o idoso? Que aspetos são mais relevantes para ter em consideração no início da comunicação? Em que medida podemos adaptar a postura e a comunicação verbal e não verbal à vulnerabilidade de um idoso?

Sobrediagnóstico, sobretratamento e avaliação de risco

Vivemos numa era de excessos, contudo nasce entre nós uma forte consciencialização para a redução. Para isso, precisamos entender a linha que separa a utilidade de um diagnóstico/tratamento da sua futilidade. “As pessoas não estão mais doentes, as doenças é que se diagnosticam mais cedo." “O número de casos oncológicos está a aumentar porque as pessoas são submetidas desde cedo a programas de rastreio." Qual a veracidade destas afirmações? Terão todos os programas de rastreio 100% de benefício para o doente?

Mulher no pós-parto: nasceu o bebé, e agora?

Depois do parto, a mulher começa a assistir a alterações físicas e fisiológicas no seu corpo num período de dias, semanas e até meses. No entanto também existe a vertente psicossocial que a mulher tem de enfrentar. Como é que podemos ajudar a mulher ao longo do período do puerpério? A mãe está agora numa nova realidade, em que o bebé comanda a sua vida, será necessário um cuidado extra para o casal se relacionar ao terceiro elemento da família? Qual o papel fundamental da rede de apoio? Quais os sinais de alerta a ter em conta na depressão pós-parto?

Mitos da alimentação

Cada vez mais temos uma grande variedade de produtos e acesso a uma grande diversidade de costumes alimentares. A atenção à dieta e ao que comemos tem sido redobrada de forma a sermos o mais saudáveis possível. “Nós somos o que comemos", como diz o provérbio. Mas será assim tão simples? Ser magro é sinônimo de estar em forma? Serão os alimentos “da moda" realmente saudáveis? O que dizem realmente os rótulos das embalagens? Pretendemos desmistificar alguns mitos e esclarecer dúvidas importantes sobre o que comemos.

Sexologia na comunidade LGBTI: deixa os tabus à porta

Uma conversa com a psicóloga clínica e coordenadora de serviços da ILGA Portugal é a oportunidade perfeita para tirares todas as dúvidas que possas ter quanto à sexualidade na Comunidade LGBTI e para enriquecer o teu conhecimento nesta área que, por norma, tem muitas lacunas na nossa formação. Põe os preconceitos de lado e vem aprender mais sobre este tema!

Crossfit: se não te desafia, não te faz mudar

Sobe, desce, agarra, puxa, agacha! O dia inteiro nisto, já te tinhas apercebido? Mas até para estas atividades é preciso preparar o corpo. O crossfit é um exercício físico com vertente holística que combina resistência muscular, força, flexibilidade, precisão, potência, velocidade, agilidade, equilíbrio e coordenação. Vem descobrir se todos podemos ou não praticar e quais os impactos positivos e negativos na saúde dos praticantes.

A música a olhar pela saúde

A música e os seus elementos (som, ritmo, melodia e harmonia) fazem parte do nosso dia-a-dia. A musicoterapia é considerada uma forma de alcançar uma melhor qualidade de vida, assim como uma ferramenta de prevenção, reabilitação e tratamento de patologias. Como se desenrola todo este processo? Como podemos utilizar/conjugar todas as suas potencialidades na promoção de comunicação, aprendizagem, expressão, organização?

18 Janeiro

sessões paralelas

Excesso de peso na infância: a importância da intervenção dirigida aos pais

A família é um factor determinante dos processos de desenvolvimento e adaptação das crianças, sendo crucial na aquisição de hábitos e estilos de vida saudáveis e/ou de risco. Compreender que pais diferentes podem perceber de forma diferente o que é ser pais, bem como o que é uma alimentação saudável, ou quando é uma criança tem peso em excesso, pode contribuir para que os profissionais de saúde tomem consciência da necessidade de avaliar as atitudes e crenças parentais e adequar a sua atuação em cada caso.

Liderança em equipas de saúde

As equipas médicas devem ter um líder, comummente conhecido como chefe de serviço. Qual a função de um chefe de serviço? Como é o método de seleção de um chefe de serviço? Quais são os objetivos que um bom chefe de serviço deve cumprir? Uma boa liderança define uma boa equipa ou será uma boa equipa a definir uma boa liderança? Como se processa a comunicação de erros médicos num serviço?

Prescrição social

Porque ser médico é mais do que prescrever fármacos, esta sessão pretende mostrar a importância dos determinantes sociais da saúde para promover transformações duradouras na saúde dos indivíduos e da população.

Como seria o meu SNS…

Numa altura em que todos falam do Serviço Nacional de Saúde, porque não ouvir uma voz vinda de dentro? Que soluções apresenta o Dr. Francisco Goiana? Como como seria o “SNS dos seus sonhos"? Vem apurar o teu sentido crítico, discutir e partilhar ideias…

17 Janeiro

sessões paralelas // ESGOTADAS!

Inteligência emocional

A Inteligência Emocional é definida pela Psicologia como a capacidade de reconhecer e avaliar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, assim como a capacidade de lidar com eles. De que forma a inteligência emocional pode ser aplicada na Medicina? Como se processa a capacitação dos futuros médicos para serem sensíveis para com o outro? Como é que reconhecer e manipular emoções pode ajudar a explicar porque alguns médicos são mais hábeis a fornecer um melhor cuidado centrado no doente? Com esta sessão pretende-se que os alunos entendam como a Inteligência Emocional se correlaciona com muitas das competências cardinais que as escolas médicas procuram fomentar.

Dor: 5º sinal vital

A dor normalmente é definida como uma experiência subjetiva que pode estar associada a dano tecidular real ou potencial. A perceção da dor é caracterizada como uma experiência multidimensional, genuinamente subjetiva e pessoal, diversificando-se na qualidade e na intensidade sensorial, sendo afetada por variáveis afetivo-motivacionais. que causa sofrimento. Todos nós já experimentamos algum tipo de dor em algum momento da nossa vida e todos nós desejamos que a mesma terminasse. Desde os doentes oncológicos aos doentes com fibromialgia, a dor tem-se tornado um desafio na prática clínica na tentativa de proporcionar o máximo bem-estar aos doentes. Data de 2003 a Circular Normativa nº 09 (DGS, 2003) que prevê a implementação da Dor como 5º Sinal Vital em todos os serviços prestadores de cuidados de saúde, determinando a sua avaliação de modo contínuo e regular. Sabendo que a Dor é um sintoma que acompanha, de forma transversal, a generalidade das situações patológicas que requerem cuidados de saúde, que provoca profundo sofrimento e afeta todas as dimensões humanas porque continua a ser subdiagnosticada, subtratada, negligenciada?…

Gestão de tempo e stress

Tens imensas tarefas para cumprir e acabas por te sentir stressado por sentir que o tempo é escasso para tanta coisa? Ou será que és tu que complicas e não consegues rentabilizar o teu tempo?

Depressão, ansiedade e ataques de pânico num estudante

Véspera de exame e o mundo parece desabar? Tudo à tua volta te parece estranho, sentes-te sozinho e sem razão de viver? Um colega teu teve um ataque de pânico e não sabes o que fazer?… Uma coisa é certa: não estás sozinho e podes sempre pedir ajuda ou ser a ajuda de alguém. Vem conhecer esta realidade cada vez mais presente no nosso dia a dia universitário.

18 Janeiro

sessões paralelas // ESGOTADAS!

Eutanásia: entre o medo e o desejo de morrer

A eutanásia é um tema controverso e que gera muitas opiniões: umas com conhecimento e outras sem ele. Além disso, nem sempre este conhecimento é o mais correto, nomeadamente aquele que é difundido pelos meios de comunicação e redes sociais. Sem te querer persuadir nem tentar mudar qualquer tipo de opinião que possas já ter formada, esta sessão acontece com o intuito de compreenderes melhor esta temática e perceberes a importância das decisões em fim de vida, de que muitos falam e poucos entendem.

Escapar do burnout

Stress: a grande palavra de ordem do séc. XXI. E quando a resposta ao stress se torna disfuncional e sentimentos de exaustão, despersonalização e desmotivação se apoderam de nós?

Violência obstétrica

Embora os cuidados médicos na gravidez e no parto tenham contribuído para a redução das taxas de mortalidade das mulheres e dos bebés, a existência de intervenções desnecessárias, abusivas e desrespeitosas dos direitos das parturientes têm vindo a ser denunciadas como violência obstétrica, sublinhando a necessidade de os serviços e os profissionais de saúde garantirem um parto humanizado. A Organização Mundial de Saúde defende que esta violência “ameaça o direito à vida, à saúde, à integridade física e à não-discriminação”. Quais são os atos física, verbal e psicologicamente violentos neste contexto? Quais são as práticas que devem ser abolidas no trabalho de parto? Em que medida o nosso sistema nacional de saúde pode melhorar para diminuir a taxa de violência obstétrica? Alguns relatos de mulheres que vivenciaram episódios de violência obstétrica.

Rir é um assunto sério

Rir sozinho, rir em grupo, rir na pausa do estudo, rir antes do exame, rir no trabalho. O riso melhora o teu dia e os que estão ao teu redor. Vem conhecer os benefícios comprovados desta terapia, as suas técnicas mais utilizadas e como a sua aplicação tem obtido fantásticos resultados junto da população geriátrica. Vem rir connosco!

Raciocínio que leva ao diagnóstico

O que passa pela cabeça de um médico até chegar a um diagnóstico? Como transformar sinais e sintomas clínicos num único diagnóstico a partir de um conjunto de possíveis diagnósticos diferenciais. Vem aprender a construir o raciocínio clínico e a orientar a tua linha de resposta face a um doente até chegares a um diagnóstico – que pode até nem ser o final. O que é certo num minuto, no seguinte já não o é: é isto a magia da Medicina!

Public speaking
POWERED BY SPEAK AND LEAD

Tens receio de apresentações orais diante de uma plateia? Entras em pânico? Chegam-te os nervos à flor da pele? Não te preocupes, existem truques mesmo para os mais ansiosos! Descobre como te deves preparar para falar em público, ter confiança nas tuas capacidades e derrotar o nervosismo.

Prova nacional de acesso, internato e as alternativas

Estás prestes a acabar o curso e não sabes o que vem a seguir? A “nova prova" assusta ainda mais do que o famoso Harrison? Vem saber tudo sobre a PNA e o internato de formação geral… vem saber como se começa a carreira médica em Portugal e explorar algumas alternativas ao percurso tradicional.